• Cecilia Andalaft

As marcas mais valiosas do mundo e como chegaram lá


O maior banco de dados de marcas globais, BrandZ, publica anualmente uma lista com as 100 marcas mais valiosas do mundo. E o que elas têm em comum?

Todas têm estratégias muito parecidas, com ações e campanhas de marketing agressivas e arrojadas na construção e gestão de suas marcas, foco em vendas e priorização do cliente, criando uma relação diferenciada com ele e tornando sua experiência de contato com a marca a melhor possível e evitando a todo custo frustrar suas expectativas.

Aqui estão algumas delas, provavelmente conhecidas por todos nós:

Google: Conhecido como fenômeno de popularidade e inovação, a companhia é uma estrela em ascensão, usando como estratégia a priorização de sua marca e muita agressividade nas vendas. Em primeiro lugar no ranking deste ano, hoje vale aproximadamente US$ 530 bilhões.

Apple: Apontada como a empresa mais inovadora do mundo, é uma usina de ideias criando aparelhos que antes não existiam e que se tornaram desejo de consumo para a sociedade, como o iPod e o iPhone. Atualmente vale RS$ 520 bilhões.

Coca-Cola: No segmento de refrigerantes, a marca mais valiosa do mundo continua imbatível. Sua força é tão grande que 99,9% da população mundial conhece o refrigerante. O sucesso da Coca-Cola se deve a um intenso trabalho de expansão, inovação e publicidade. Acredita-se também que a fórmula exata da bebida é um dos segredos comerciais mais bem guardados do planeta. Vale atualmente US$ 65 bilhões.

Nike: Comercializada a partir de 1971, suas ideias revolucionárias foram inicialmente recusadas pelo mercado esportivo, entretanto longe de desanimar, seus criadores insistiram e inovaram lançando calçados leves e muito confortáveis. Junto com a qualidade, o designer característico, o solado de borracha inovador e o apoio dos melhores atletas, a Nike faz da sua estreia uma referência para o mundo inteiro. Vale hoje em torno de RS$ 26 bilhões.

#marcas #criatividade #negócio #merchandising #atualizaçãoprofissional #dresscode #recolocação #produtivodade

0 visualização0 comentário