• Cecilia Andalaft

Dicas para não cair em golpes na Black Friday


A Black Friday, já na sexta edição no Brasil, é a maior liquidação do e-commerce mundial mas enquanto os consumidores online procuram por boas ofertas os criminosos da internet buscam novas vítimas. Nesse tipo de ataque eles disfarçam seu programa malicioso com alguma aparência inofensiva lesando milhares de consumidores desatentos. Existem sites que aproveitam a situação para enganar os consumidores com descontos falsos, cancelamento de compras sem justificativa, fretes com preços abusivos, entre outros problemas.

Para evitar dores de cabeça temos dicas para os compradores online não caírem em golpes:

Conectando-se: Evite usar um wi-fi público principalmente quando precisar inserir informações pessoais, e nunca utilize os recursos da empresa para compras pois pode-se colocar em risco toda a integridade da rede corporativa.

Segurança: Mantenha os sistemas operacionais e softwares de segurança sempre atualizados para diminuir o risco de vulnerabilidades a serem exploradas.

Buscando ofertas: Ao invés de utilizar mecanismos de busca na hora de procurar boas ofertas procure em sites já conhecidos nos quais confie. Legitimidade: Verifique a legalidade de uma URL passando seu cursor sobre o link antes de clicar nele. E-mails: Cuidado ao abrir e-mails com ofertas. Algumas mensagens possuem tom de urgência alegando que o estoque está acabando, a fim de que o usuário informe todos seus dados ou clique em algum link. Não caia nessa. Criptografia: Hackers exploram vulnerabilidades para obter informações pessoais. Por isso, realize suas compras apenas em sites que usam formas de pagamento criptografadas. Ofertas boas demais: Preços muito abaixo da média, principalmente aqueles com a justificativa de preço baixo e forma de pagamento à vista, por depósito ou boleto bancário, devem deixar o consumidor alerta. E tome cuidado com o “bolware”, o golpe do boleto bancário. Sites de compras: Ao entrar em um site não conhecido, uma dica importante é averiguar a razão social, CNPJ, endereço e telefone, as formas de contato, a política de privacidade e os termos de uso. Pesquise o nome do site nos buscadores sempre acompanhado da palavra "problema" ou "reclamação” mas saiba que nada garante a compra segura, exceto se feita através de sites conhecidos e tradicionais.

Maquiagem nos preços: Isso acontece quando o vendedor aumenta o valor do produto dias antes, para baixar no dia da promoção e dizer que oferece um valor ilusório de desconto. Infelizmente muito usado no Brasil, o jeito é comparar preços com outros vendedores antes de decidir comprar.

O Procon-SP divulga uma lista com mais de 500 lojas virtuais para manter distância e para atender os consumidores, realizará uma força-tarefa durante a realização do evento para dar conta do volume maior de reclamações.


0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo