• Cecilia Andalaft

A Copa do Mundo e o comércio


A Copa do Mundo de 2018 será a vigésima primeira edição deste evento esportivo. Esse torneio internacional de futebol organizado pela Federação Internacional de Futebol (FIFA) ocorrerá na Rússia, anfitriã da competição pela primeira vez. O campeonato será disputado entre 14 de junho e 15 de julho. Um megaevento como esse sempre traz grandes oportunidades de negócios a diversos setores da economia.

Aqui no Brasil, por exemplo, a realização da Copa do Mundo em 2014 gerou milhares de postos de trabalho. Houve contratações para cargos como recepcionistas bilíngues e trilíngues, telefonistas, digitadores, porteiros, vigias, serventes, auxiliares de serviços gerais, assim como nos setores de limpeza e conservação.

A chegada de milhões de turistas ao país sede faz crescer as vendas nos setores de transporte aéreo, turismo, hotelaria, alimentos, bebidas , transportes, empresas de organização de eventos culturais e esportivos e prestadores de serviços. Também o comércio se beneficia com a venda de itens relacionados ao evento. Além de materiais esportivos e televisores, aumenta a venda de camisetas, bonés, bolas, bonecos, cornetas, bandeiras e muitos outros itens relacionados ao evento.

Mas nem tudo é festa. Segundo estudos internacionais, a realização de uma Copa do Mundo não garante crescimento econômico ao país que a recebe. Isso significa que os bilhões de dólares investidos pelo poder público nem sempre voltam para a sociedade, fato que ocorreu nos últimos países que a sediaram, inclusive no Brasil. Apesar disso, o aumento de contratações e vendas sempre representa uma oportunidade de trabalho e de realização de bons negócios.


0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo