Buscar
  • Cláudio Aléo

Procurando emprego? Algumas dicas podem ajudar.

Quem está desempregado sabe que não está fácil arrumar um trabalho. A busca por uma recolocação profissional pode ser ainda mais complicada para quem já recebeu alguns “nãos” de empresas. O UOL listou, com a ajuda de Marineide de Oliveira Aranha Neto, professora e mestre em gestão de pessoas da Universidade Presbiteriana Mackenzie Campinas, e Márcia Almström, diretora de Marketing e RH do ManpowerGroup, oito atitudes que podem ajudar. Se seu currículo não está agradando aos selecionadores, está na hora de mudar.

Algumas dicas dadas pelas especialistas:


  • REVISAR SEU CURRICULO: O currículo é seu cartão de visita. Deve conter informações objetivas e claras e sempre passar credibilidade. Quem encontrar dificuldades em organizá-lo deve procurar a ajuda de um especialista para fazer a revisão.

  • PROCURAR CURSOS DE ATUALIZAÇÃO: Quem está desempregado pode não ter dinheiro para fazer algum curso de atualização, mas a dica é procurar cursos gratuitos para não ficar parado, e numa entrevista poderá dizer que está se atualizando, melhorando suas competências.

  • PEDIR INDICAÇÃO PARA VAGAS: Se não está conseguindo emprego, a dica é entrar em contato com seus amigos e ex-colegas de trabalho para pedir indicações de vagas. Uma boa fonte para conseguir emprego é a indicação.

  • SABER MAIS SOBRE A EMPRESA EM QUE PRETENDE TRABALHAR:O candidato deve entender como funciona a empresa em que quer trabalhar para conseguir se adaptar ao que eles pedem. Pesquisar sobre a empresa e ver quais produtos ela oferece, por exemplo, pode aumentar seu repertório durante uma entrevista.

  • REPASSAR O QUE ACONTECEU NA ENTREVISTA: Se o candidato não foi bem na entrevista de emprego, é hora de pensar em como foi o processo com o recrutador e listar o que precisa melhorar. É preciso repassar cada parte da entrevista e ver onde houve hesitação, o que não soube responder, etc. É um processo de reflexão e busca de melhoria contínua. Quem estiver com dificuldades em fazer essa análise sozinho pode pedir ajuda para um amigo.

  • PEDIR UM RETORNO AO SELECIONADOR: Se o candidato não passou na entrevista, ele pode tentar entender o motivo pelo qual foi reprovado com o próprio recrutador perguntando o motivo por não ser selecionado. Uma crítica vai ajudar em um reposicionamento no mercado de trabalho e numa auto-avaliação, pode servir também de aprendizado, aprimoramento e para alterar a estratégia. Se o recrutador não disser o que fez o candidato ser reprovado na seleção, vale pedir alguma dica para melhorar nas próximas entrevistas.

  • REVER EMPRESAS PARA AS QUAIS JÁ MANDOU CURRÍCULO: Não há nada de errado em mandar o currículo mais de uma vez para a mesma empresa. O candidato pode não ter sido chamado não porque não era bom, mas porque não havia vaga naquele momento. Se já passou cerca de um ano, ele pode mandar o currículo novamente.

  • NÃO SE DEIXAR ABATER: A orientação das especialistas é não desanimar e continuar procurando uma recolocação profissional. O candidato não deve desanimar com o mercado competitivo. Ele deve aproveitar a experiência com entrevistas anteriores para melhorar nas próximas.

FONTE: economia.uol.com.br

0 visualização

R. Eduardo Carlos Pereira, 302 - 04276-030 - Ipiranga - São Paulo - SP

3711-9999