Buscar
  • Cecília Andalaft

Retrospectiva da economia em 2019

O ano de 2019 passou por altos e baixos na área econômica, desde reduções sucessivas dos juros a variações históricas na cotação do dólar, e depois de algumas incertezas no início do ano, a economia brasileira em 2019 já mostrou algum progresso.


A expectativa é de que o crescimento econômico de 2020 será "substancialmente” superior ao observado nos últimos anos, puxado, principalmente, pelo setor privado. A projeção oficial do ministério da Economia é de que o Produto Interno Bruto (PIB) cresça 2,32%, mas o número deve ser revisto para cima, ficando entre 2,5% a 3%.

Se confirmada, será a maior taxa de crescimento da economia brasileira desde 2014, quando o Brasil caiu em recessão.

Confira alguns dados e indicadores que têm levado o governo e o mercado a acreditarem que a economia vai melhorar a partir de 2020.

Inflação sob controle: Ela se manteve estável durante todo o ano e o governo pretende mantê-la assim.

Taxa de juros: Com a política de redução da taxa básica de juros(Selic) o crédito fica mais barato, facilitando investimentos e o consumo de bens duráveis.

Aumento da demanda industrial: Cresceu a procura por bens materiais produzidos no país.

Melhora do PIB agropecuário: Para 2020 é esperada a maior safra da história com aumento da exportação de grãos para a China e também de carne para China, Hong Kong e Emirados Árabes.

Retomada do setor privado: Houve incremento dos investimentos pelas empresas de máquinas e equipamentos.

Aumento da confiança do setor industrial: Alta registrada foi bastante expressiva e disseminada em todos os setores, puxada principalmente pelas expectativas positivas para a produção. Porém, o indicador ainda permanece abaixo de 100 pontos, um patamar considerado historicamente baixo.

Confiança do setor de serviços: Esse setor representa mais de 60% do PIB brasileiro. Ele foi o principal vetor de crescimento da economia no país.

Dívida pública em queda: Além do resultado acima do esperado do PIB neste último trimestre, o BNDS começou a devolver parte dos empréstimos que fez durante o governo Dilma Roussef (PT). Ao todo já retornaram aos cofres públicos R$ 123 bilhões de reais.

Apesar dos indicadores favoráveis, o país mostrou lentidão na recuperação da economia em 2019, mas esses índices levam o governo à certeza da retomada mais forte da economia a partir do ano que vem.

Fontes: www.gazetadopovo.com.br | www.euqueroinvestir.com | www.euqueroinvestir.com


0 visualização

3711-9999

R. Eduardo Carlos Pereira, 302 - 04276-030 - Ipiranga - São Paulo - SP